[ editar artigo]

AS BIG TECHS AINDA NEM SEQUER SURGIRAM

AS BIG TECHS AINDA NEM SEQUER SURGIRAM

Tenho convicção que devido a velocidade da inovação tecnológica e busca constante pela evolução da humanidade, inúmeras vezes somos instigados a fazermos classificações precoces e aparentemente equivocadas tanto de negócios, quanto acontecimentos da economia mundial. Sim, temos necessidade da comunicação e compreensão em tempo real, ora por questões estratégicas ou mesmo competitivas, ora pela necessidade de consolidarmos nossa reflexão a fim da continuidade dessa jornada a partir de um novo patamar ou linha do nosso pensamento.

Para simplificarmos a mensagem, torna-se então permitido as vezes cometermos erros relacionando um nome a algo ou acontecimento que ainda está por vir. Na minha avaliação isso ocorreu com as BIG TECHS! As atuais foram superestimadas e classificadas de forma prematura. Estão provavelmente ainda no meio do caminho para se tornarem algo que mereça efetivamente tal título. Software e Hardware fluirão verticalmente e rápido!

Vejam só o exemplo de quantas novas demandas estão surgindo no ambiente das profissões (exigindo a classificação imediata ou até inventividade para preenchimento de alguma lacuna). Quantas novas funções dos profissionais de marketing estão surgindo subdivididas tanto para melhor entendimento e planejamento, quanto criação de novos produtos e serviços utilizando todo o aparato de informações acumuladas com toda essa engenharia de software das supostas BIG TECHS.

As áreas de marketing estão explorando incansavelmente suas infinitas bases de dados com o objetivo de gerar o tão sonhado engajamento e maior atratividade para todas as marcas do planeta. Além da coleta de dados jamais imaginados, existentes e renováveis 24h por dia no ambiente digital, a alta praticidade e escala de emulação tornou-se usual nos tempos atuais, possibilitando mudarmos a forma de “pensarmos, pesquisarmos e vivermos do marketing criativo”.

Ganhamos uma nova amplitude com todas essas mudanças e principalmente uma nova capacidade preditiva estatística que até bem pouco tempo atrás, não era tangível sem grandes investimentos em pesquisas. Essa novas possibilidades irão provocar um deslocamento gigantesco de profissionais do marketing para dentro dos processos de pesquisa, concepção, produção, lançamento e experiência dos produtos e serviços ao mesmo tempo da execução, gerando a melhoria contínua em todas as fases do ciclo de vendas.

A inovação exige extrema velocidade desde a tomada de decisão, até o lançamento do produto ou serviço. Com todas as ferramentas disponíveis passamos finalmente a nos permitir que deixemos aquele ambiente descontraído dos escritórios das grandes companhias ou mesmo agências de propaganda e publicidade (aqueles que se interessarem), para acompanharmos virtualmente todo e qualquer tipo de jornada junto de quem quer que seja.

Com profissionais multidisciplinares mais ágeis, dotados de mais tempo para exercitarem sua criatividade, bem preparados, consequentemente gerando custos menores de acordo sua produtividade e sendo mais úteis diante de todos os desafios mercadológicos (suportados pelo BIG DATA e AI), alcançaremos resultados extraordinários, como os avanços da Space X e Tesla vistos recentemente em um espaço de tempo cada vez mais curto, fator decisivo para qualquer tipo de negócio ou time obterem êxito em P&D (visão LEAN é primária para diferenciação e perpetuação de qualquer negócio).

Afirmo com total segurança a tendência desses acontecimentos devido vários sinais dados pelo mercado nos últimos anos com o exemplo de dois profissionais muito especializados que, também migraram com sucesso para as área de marketing e gestão empresarial dando contribuições reconhecidas mundialmente no ambiente de negócios (muitos engenheiros e economistas deixaram seus respectivos postos antigos de trabalho para inovarem e criarem novos negócios).

Com o tratamento e interpretação corretos de dados preditivos, obteremos possibilidades das mais incríveis na relação comportamental dos consumidores e usuários, fazendo surgir uma imensidão de novas demandas a serem atendidas, novas formas de gerirmos negócios e consequentemente uma infinidade de novas invenções com oportunidade para O&M de organizações dos mais variados segmentos ou core business.

Não ficarei surpreso se alguma grande indústria de consoles para games se fundir com outra grande organização do varejo online. Quem sabe não veremos até mesmo alguma grande indústria de alimentos investindo em ações de um grande laboratório farmacêutico ou vice versa. Tampouco duvidarei do interesse de algum grande grupo do agrobusiness ou mesmo saúde, pela compra de alguma MARTECH (mesmo sendo um negócio tão recente e ainda em desenvolvimento).

Estou ansioso pela criação das primeiras BIG TECHS! E você?

ZAHG Academy
Marcel Lopes Boiça .'.
Marcel Lopes Boiça .'. Seguir

Paulistano, 50 anos, casado, pai da Leticia, graduado em propaganda e marketing pela Universidade Anhembi Morumbi, pós graduado em gestão empresarial pela FGV, ideativo, residente em Cuiabá – MT. Meu propósito é contribuir para a evolução do MT!

Ler conteúdo completo
Indicados para você