[ editar artigo]

O efeito manada da liderança

O efeito manada da liderança

Tenho aprendido durante a minha carreira com alguns profissionais de recursos humanos, duplas de liderança e lendo cada vez mais sobre o assunto que alguns itens são primordiais para aprender a ser um bom líder e não um chefe, relembrando que, o conceito de chefe é uma posição hierárquica elevada em relação aos seus subordinados, que é extremamente diferente de ser um líder. E claro, existem pessoas nascem hereditariamente com essa habilidade.

Empresas que desenvolvem líderes fazem bem não só para seus negócios, mas para o mercado de trabalho e arrisco em dizer que tornam um mundo melhor já que cada líder motivado e se sentindo parte de um propósito, mais funcionários vestem a camisa e enxergam o propósito daquele objetivo. É uma análise cíclica que é muito mais que salário, bonificações, promoções ou ego elevado por um elogio.

Fazendo uma análise consigo ver que existem alguns pontos essenciais para ser líder e compreender os liderados:

Alguém que te inspire

Mais do que trabalhar com alguém que seja muito fluído (que é maravilhoso, claro) ter uma pessoa que te inspire é marcante para quem ouve e mágico para quem se sente assim sobre alguém.

Pensando sobre inspiração é comum associar a uma pessoa que tenha relação direta no trabalho, mas não é um pré-requisito que deve ser considerado. Uma inspiração pode ser atitudes empáticas, inteligência, jogo de cintura em determinadas situações, domínio no discurso e por aí vai. Esse conglomerado de atitudes e na maioria dos casos, até a posição hierárquica que o admirado está, inspiram a você querer e se ver do lado a lado daquela pessoa.

Entender os "porquês e os comos" e se sentir desafiado

Líderes existem para dar sentido à equipe e devem explicar incansavelmente aos participantes qual o objetivo, como vão alcançá-lo, qual o papel de cada um na construção e relembrar esse propósito em todos os momentos do andamento da tarefa e de forma mais didática possível simulando vários níveis na equipe.

Considerando que cada integrante da equipe usa pelo menos 40h por semana em múltiplas atividades, se o liderado não ver propósito no desafio do aprendizado/desafio acabam se dissipando. Assim como o líder que não tem “tempo de trocar” de forma individual, como avalia se existiu uma melhora ou se a pessoa está estagnada? Claramente existem metodologias de avaliação de desempenho que guiam empresas a mensurar os mais e menos eficazes funcionários, mas toda e qualquer decisão, deve ser resultada de uma análise individual e personalizada.

Escutar muda tudo

Na minha opinião, esse tópico é um dos mais importantes para ser líder, que é, ser generoso com as pessoas ao seu redor.

Líderes que ficam genuinamente felizes em dar aumento, cerimônias de meritocracia para sua equipe, a valorização não só monetárias, mas de ver os membros gratos e acima de tudo entusiasmados, é como diria a Mastercard, não tem preço. Elogiar as pequenas e grandes conquistas e principalmente escutar e minimizar as aflições é tão importante quanto cumprir prazos de entrega de uma tarefa.

A função do líder não é só o ouvir, se não seriamos psicólogos, mas descobrir formas de desburocratizar e viabilizar a inovação de forma mais rápida. Do outro lado, ser ouvido é prazeroso, faz com que a pessoa se sinta à vontade para expor ideias que em alguns casos ficam adormecidas ou medo de falar e ser julgado por aquela opinião.

Ser líder interfere na vida de alguém todo dia

Na minha visão, uma ótima analogia para um líder é o treinador. Ele ensina, avalia e na hora do show, ele está ali do lado de fora vibrando incansavelmente, perde a voz de tanto gritar para estimular a bola batendo na rede do gol e abraça os jogadores quando a partida termina.  É essa alegria, esse estímulo de elogiar em público e apontar as escorregadas no privado que fazem que no final da semana um funcionário pense: “É, foi uma semana com muito volume de trabalho, mas muito produtiva”, e é o que dá ânimo e motivação dela levantar da cama as segundas-feiras de manhã.

Finalizo essa reflexão com um vídeo do Jack Welch que me inspirou a tornar palpável esse artigo e, exerceu por mais de 20 anos o cargo de CEO da General Eletric e foi responsável por aumentar em bilhões o faturamento da empresa, escreveu livros e fez palestras em vários países falando sobre o mundo dos negócios e das experiências dele com liderança. São 4 minutos de um vídeo incrível, assista!
 

Conseguiu pensar em líderes com essas características? Deixe um comentário abaixo e aperte no botão seguir no topo da página para receber os novos artigos.

ZAHG Academy
Patricia Perressim
Patricia Perressim Seguir

Supervisora de operações na Zahg, leonina, viciada em séries e tecnologia e que não toma café!

Ler conteúdo completo
Indicados para você